segunda-feira, 30 de junho de 2014

domingo, 29 de junho de 2014

CRÓNICA DE OPINIÃO AO SÁBADO NO SEMANÁRIO «NOTÍCIAS DE ESPOSENDE»


OBRIGADO,
SELEÇÃO PORTUGUESA!
AS EXIBIÇÕES DA SELEÇÃO PORTUGUESA NO BRASIL, FICARAM MUITO AQUÉM DAS EXPECTATIVAS DE TODO UM POVO, DESEJOSO DE VER O PAÍS VINGAR-SE DA CRISE, COM GOLOS DE RONALDO & COMPANHIA. AINDA NÃO FOI DESTA!
ACREDITAR, MAS COM PRAGMATISMO!
Com o regresso da comitiva portuguesa a Portugal, hoje mesmo, acabamos de cair na realidade nua e crua. Não podemos esquecer-nos que a nossa seleção se apurou para este Mundial mesmo à «rasquinha» e o desempenho no Brasil foi sofrível. Apesar do apuramento penoso para este mundial, a nossa imprensa e comentaristas teimaram em fazer-nos crer que tínhamos uma equipa de excepção, cheia de craques, capaz de ombrear com as que na atualidade melhor futebol praticam e por isso com todas as condições para sermos campeões do mundo.
Devia ter havido algum decoro. Foi criado um autêntico «circo» à volta dos jogadores, com o relato das situações mais caricatas e sem qualquer interesse para os jogos, para os resultados e para o tão desejado sucesso da nossa equipa.
É inequívoco que temos uma seleção razoável, capitaneada pelo «melhor jogador do mundo», mas incapaz de em momentos cruciais se superar, de marcar a diferença para melhor e de levar vencidas seleções teoricamente muito inferiores à nossa, até pelo próprio ranking da FIFA, onde figurávamos em quarto lugar no inicio deste mundial.
No jogo com o Gana, onde nem sequer dependíamos só do nosso desempenho e resultado, apesar de vencermos, fomos eliminados e aos oitavos passaram as seleções da Alemanha e dos Estados Unidos, a quem aproveito para desejar boa sorte.
Passamos de uma «geração de ouro» para um «jogador de ouro», a quem exigimos vitórias e a quem quisemos atribuir responsabilidades que eram de toda a equipa. Estávamos na mão dos outros, a rezar para que a Alemanha vencesse a América, quando nós tivesse a hipótese de os vencer e não conseguimos. Uma equipa que em dois anos não consegue mudar o onze inicial, é porque algo de errado se foi passando. Renovação a que nem vê-la.
A seleção nacional precisa de se renovar, de chamar e pôr a jogar um misto de jogadores experientes, com jogadores novos, na casa dos 20 anos e temos vários, cheios de garra, de força e de vontade de se mostrar e afirmar. Não pode uma selecção – conjunto dos melhores de um país, num determinado momento, estar tão dependente de um único jogador, nem esse jogador pode querer fazer o seu trabalho e o dos demais dez colegas. É que não resulta, como mais uma vez não resultou.
RUMO A PARIS’2016
Neste momento já todos podemos criticar, apontar erros, defeitos, distanciar-se da estratégia de Paulo Bento, reprovar o local do estágio, “cascar” nos responsáveis da Federação, falar nas lesões dos jogadores, na sua falta de fibra, nos jogos pouco conseguidos, nas fracas exibições, no desempenho dos jogadores, no clima e na temperatura, etc., etc., etc..!
Agora é fácil, até porque 10 milhões de portugueses, não são mais que 10 milhões de treinadores de bancada, cada um com a sua própria tática e estratégia, considerando-a sempre a melhor de todas, enfim.
Olhemos para a frente, faça-se uma análise séria e rigorosa, veja-se o que correu menos bem e acima de tudo que se sinalizem as oportunidades de melhoria, para que o apuramento para o próximo europeu a realizar em França, não seja mais um martírio matemático a levar ao extremo.
Desde a época de dois mil que a nossa seleção tem vindo a perder jogadores de excepcional qualidade. Não é possível em dois anos jogarmos sempre com o mesmo 11 inicial. Ao darmos a garantia de titularidade àqueles 11, demos um péssimo sinal, porque perceberam que seriam sempre os escolhidos, independentemente da boa ou má forma em que se encontrassem.
Talvez, por isto, por serem sempre os mesmos, muitos em péssima forma, que lhes faltou frescura, entusiasmo e eficácia, como se viu no último jogo realizado contra a seleção do Gana, onde apesar de termos vencido por dois a um, falhamos claras situações de golo, demonstrando mais uma vez uma grande ineficácia, vendo-nos obrigados a fazer as malas.
É notória a necessidade de renovar em muitos aspetos, desde jogadores [com a entrada de jovens]. Sobre a equipa técnica não quero opinar, deixo essa análise para os responsáveis federativos, que bem ou mal até já reconfirmaram total confiança em Paulo Bento. É importante que os próximos seleccionados tenham uma atitude diferente e um querer sem igual. Importa que nada seja feito em cima do joelho. Deve haver planeamento e estratégia.
Os portugueses vivem com enorme paixão este desporto rei e por isso merecem ter mais alegrias! Por mim, vou continuar a apoiar incondicionalmente a nossa seleção, acreditando sempre que os seleccionados darão sempre o seu melhor e quem dá o que tem não é obrigado a mais.
Acredito que mais cedo do que tarde o sucesso há de aparecer e Portugal poderá inscrever o seu nome na lista das seleções de excepção.
PORQUE ACREDITO QUE OS JOGADORES DA SELEÇÃO PORTUGUESA APESAR DE TUDO DERAM O SEU MELHOR E PORQUE ESTIVEMOS PERTO DA PASSAGEM AOS OITAVOS [TRAMOU-NOS A DIFERENÇA DE GOLOS], O MEU OBRIGADO A TODOS E BOM REGRESSO!
Depois da nossa saída prematura desta «Copa», resta-me torcer pela equipa portuguesa de arbitragem, liderada por Pedro Proença, a quem desejo boa sorte, que continue a fazer excelentes arbitragens e cheguem eles à final! Boa sorte também para outro português, Fernando Santos, selecionador da Grécia, que seguiu em frente. Uma palavra de apreço aos Brasileiros pela simpatia e carinho com que nos apoiaram. Obrigado!
Não é por causa desta eliminação, ou da passagem, que tanto desejávamos, que as dificuldades das pessoas e das famílias passam ou aumentam. Cada um de nós, apesar das dificuldades, tem que se concentrar no que é importante e tocar a vida para a frente. Os jogadores terão sempre a minha admiração, afinal acabam por ser a imagem de um país em dificuldades, mas com esperança no futuro.
E porque ainda esta semana tivemos portugueses a vencer provas ao mais alto nível, como os ciclistas Rui Costa, na volta à Suíça e Tiago Machado na volta à Eslovénia as minhas felicitações por honrarem o nome de Portugal.
«ESPOSENDE RÁDIO» CELEBROU ESTA SEMANA O SEU 25º ANIVERSÁRIO
A «Esposende Rádio» comemorou esta semana o seu 25º Aniversário. No dia 24, à noite, realizou-se um jantar em ambiente familiar com todos os colaboradores. Vale a pena pertencer a esta magnifica equipa composta por pessoas das mais diversas áreas e formações. Bem-haja aos proprietários e à equipa diretiva, superiormente liderada pela D. Adelaide Camacho e a todos os colaboradores; Jornalistas, cronistas, repórteres, técnicos e demais colaboradores.
Este «bichinho da Rádio» só acontece porque e quando existe o gosto por esta arte de falar ao microfone, independentemente do público-alvo e da própria quantidade de ouvintes a cada momento.
Trata-se de uma Rádio que presta um autêntico serviço público, levando às populações, notícias, debates, opiniões, música e entretenimento. Uma rádio que faz companhia a muita gente, que combate a solidão e que faz amigos.
Aproveito para agradecer o convite que há mais de 2 anos me endereçaram para participar no programa «prova oral», todas as sextas-feiras e já agora muito obrigado pelo convite para este jantar/convívio no qual tive o maior prazer em participar, e tal como o referi na minha intervenção, reafirmar a minha disponibilidade para continuar a colaborar com esta Rádio de referência!
Parabéns, muitos anos de vida e que continuem a ser a nossa rádio, uma rádio Esposendense, com isenção e independência.
Mário Fernandes
28-06-2014


quinta-feira, 26 de junho de 2014

OBRIGADO, SELEÇÃO PORTUGUESA!




OBRIGADO, SELEÇÃO PORTUGUESA!

Neste momento já todos podemos criticar, apontar erros, apontar defeitos, distanciar-se da estratégia de Paulo Bento, reprovar o local do estágio, cascar nos responsáveis da Federação, falar nas lesões dos jogadores, na sua falta de fibra, nos jogos pouco conseguidos, nas fracas exibições, no desempenho dos jogadores, etc., etc., etc..!

Agora é fácil, até porque 10 milhões de portugueses, não são mais que 10 milhões de treinadores de bancada, cada um com a sua própria estratégia, considerando-a sempre a melhor de todas, enfim.

Olhemos para a frente, faça-se uma análise séria e rigorosa, veja-se o que correu menos bem e acima de tudo que se sinalizem as oportunidades de melhoria, para que o apuramento para o próximo europeu a realizar em França, não seja mais um martírio matemático a levar ao extremo.

É notória a necessidade de renovar em muitos aspetos, desde jogadores [com a entrada de jovens], estágios e também e muito em atitudes! Importa que nada seja feito em cima do joelho. Deve haver planeamento e estratégia.

O povo vive com paixão este desporto rei e merece ter mais alegrias!

Por mim, vou continuar a apoiar incondicionalmente a nossa seleção, acreditando sempre que os seleccionados darão sempre o seu melhor e quem dá o que tem não é obrigado a mais.

Amanhã é novo dia, preparemo-nos para os próximos desafios e o sucesso, mais cedo ou mais tarde será uma realidade.

PORQUE ACREDITO QUE APESAR DE TUDO DERAM O VOSSO MELHOR E PORQUE ESTIVEMOS PERTO DA PASSAGEM AOS OITAVOS [TRAMOU-NOS A DIFERENÇA DE GOLOS], OBRIGADO A TODOS E BOM REGRESSO!

MF


FORÇA, PORTUGAL!


…Se mais logo, com um grande jogo, com total entrega dos nossos jogadores, com a melhor tática do mundo, com uma arbitragem justa e onde a sorte nos sorria [já era tempo] e, com um resultado no outro jogo que nos favoreça, se mesmo assim com toda esta conjugação não for ainda suficiente, pois então que venha de lá um… MILAGRE! Importa é que passemos! Temos que continuar a acreditar, até ao último dos últimos minutos! Força, Portugal!

MF


quarta-feira, 25 de junho de 2014

ESPOSENDE RÁDIO ESTÁ DE PARABÉNS PELO SEU 25º ANIVERSÁRIO



 


«ESPOSENDE RÁDIO»
A RÁDIO ESPOSENDENSE

A «Esposende Rádio» comemorou ontem à noite, num jantar e em ambiente familiar, o seu 25º aniversário. Vale a pena pertencer a esta magnifica equipa composta por pessoas das mais diversas áreas e funções. Capazes de acrescentar algo e de ser uma mais valia para este órgão de comunicação social radiofónico que leva Esposende aos esposendenses de cá e aos que se encontram pelo mundo fora.

Bem-haja aos proprietários e à equipa diretiva, superiormente liderada pela D. Adelaide Camacho e a todos os colaboradores; Jornalistas, cronistas, repórteres, técnicos e demais colaboradores.

Este «bichinho da Rádio» só acontece porque existe o gosto por esta arte de falar ao microfone, independentemente do público alvo e da própria quantidade de ouvintes.

Uma Rádio que presta um autêntico serviço público, levando às populações notícias, debates, opiniões, música e entretenimento. Uma rádio de faz companhia, que combate a solidão e que faz amigos.

Aproveito para agradecer o convite que há mais de 2 anos me endereçaram para participar no programa «prova oral», todas as sextas-feiras e já agora muito obrigado pelo convite para este jantar/convívio no qual tive o maior prazer em participar, e tal como o referi na minha intervenção, reafirmar a minha total disponibilidade para continuar a colaborar com esta Rádio de referência!

Parabéns, muitos anos de vida e que emitam sempre a partir do concelho de Esposende!

Termino com o convite para que participem na grande «FESTA DA ESPOSENDE RÁDIO» esta sexta-feira, no Largo de Mercado em Esposende, por onve vão passar dezenas de artistas, para nos presentear com a melhor música.


93.20

MF


terça-feira, 24 de junho de 2014

ACREDITAR, SEMPRE!



ACREDITAR, MAS COM PRAGMATISMO!


Era tão bom e fazia-nos tão bem que finalmente caíssemos na realidade! A nossa seleção apurou-se para este Mundial mesmo à «rasquinha» e o desempenho no Brasil tem sido fraco. Apesar disto a nossa imprensa teima, ainda hoje, em falar numa equipa de excepção, numa equipa capaz de ser campeã do Mundo, numa equipa cheia de craques, capaz de ombrear com as que na atualidade praticam o melhor futebol.

Haja algum decoro. Chega de circo à volta dos jogadores, com o relato das situações mais caricatas e sem qualquer interesse para os jogos, para os resultados e para o sucesso da equipa.

Temos uma seleção razoável, capitaneada pelo melhor jogador do mundo, mas incapaz de em momentos cruciais se superar e marcar a diferença para melhor.

Por mim, já só penso nos próximos campeonatos:
- FRANÇA’2016 – EUROPEU
- RUSSIA’2018 – MUNDIAL

Este ainda não é o momento para criticas, mas para apoiar incondicionalmente a equipa para que os jogadores se excedam e façam tudo que estiver ao seu alcance. Se não passarmos aos oitavos, paciência, a vida continua e não é por causa disso que as dificuldades das pessoas e das famílias passam ou aumentam. Cada um de nós, apesar das dificuldades, tem que se concentrar no que é importante e tocar a vida para a frente.

Por favor, deixem os jogadores em paz e apoiemo-los na próxima 5ªFeira. Independentemente do resultado, terão sempre a minha admiração, afinal acabam por ser a imagem de um país em dificuldades, mas com esperança no futuro.

Eu ainda tenho, tal como muitos portugueses, uma réstia de esperança. Força, Portugal; Viva a nossa Seleção!!!

Sendo pragmático e reconhecendo as dificuldades que nos esperam para o jogo de 5ªFeira, começo a torcer pela equipa portuguesa de arbitragem, liderada por Pedro Proença, a quem desejo boa sorte, que continue a fazer excelentes arbitragens e que no caso da nossa seleção ficar pelo caminho [eu ainda sonho com a passagem], pois então que cheguem eles à final! Uma palavra de apreço aos Brasileiros pela simpatia e carinho com que nos têm apoiado. Obrigado!

As minhas felicitações para um conjunto enorme de desportistas portugueses que nas mais diversas modalidades têm conseguido vencer internacionalmente, como são caso disso, os Ciclistas Rui Costa e Tiago Machado, vencedores da Volta à Suíça e da Volta à Eslovénia, respectivamente. Obrigado, por honrarem o nome de Portugal.


MF


segunda-feira, 23 de junho de 2014

ESPOSENDE CAMINHOU A FAVOR DA LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO


 











Realizou-se este domingo, dia 22 de manhã, mais uma Caminhada Solidária a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Participaram cerca de 150 pessoas que assim contribuíram 3 euros cada para esta nobre causa da luta contra o cancro. A Vereadora da Ação Social, Raquel Vale também esteve presente, bem como Joana Miranda, Alzira Maciel e elementos do Banco Local do Voluntariado de Esposende. Bem-haja a todos, organizadores e participantes.

MF


domingo, 22 de junho de 2014

MAIS UMA CRÓNICA DE OPINIÃO AO SÁBADO NO SEMANÁRIO «NOTÍCIAS DE ESPOSENDE»


A SAÚDE [A NORTE] ESTÁ… DOENTE
O DESINVESTIMENTO NESTA ÁREA TEM SIDO TÃO GRANDE QUE COMEÇA A PÔR EM CAUSA A QUALIDADE DE ATENDIMENTO DOS DOENTES!
A imprensa escrita de hoje, dá-nos a conhecer em pormenor as razões apresentadas pelos responsáveis do Hospital de S. João para a sua demissão em bloco. Desde a administração às direções e às chefias, num total superior a sessenta dirigentes, apresentaram a demissão, por, segundo os próprios discordarem frontalmente das políticas da saúde, do desinvestimento e da descriminação a que esta unidade de saúde do norte tem sido tratada. De entre as muitas queixas conhecidas, salientem-se a incompreensível perda de valências, classificadas como excelentes, a proibição de contratar pessoal para áreas onde o mesmo se mostra essencial, a não renovação de materiais e equipamentos e ainda a descriminação nos pagamentos comparativamente com hospitais equivalentes de Lisboa.
Esta notícia é muito preocupante para todos os portugueses, mas em especial para todo o norte do país, pois como sabemos trata-se de um dos principais Hospitais do norte que serve a população desta vasta área, de Bragança a Valença e até ao centro do país.
Que fique claro que sou de opinião que os custos com a saúde, como aliás todos os outros nas mais diversas áreas, devem ser controlados que as despesas tem que ser devidamente priorizadas, que as unidades de saúde devem ser eficientes e que a tutela deve exigir rigor na gestão e na direção das unidades do Serviço Nacional de Saúde.
Há um trabalho de reconhecido mérito nesta área que tem sido desenvolvido pelo governo, como é caso disso a própria política dos medicamentos genéricos, com significativos ganhos para os doentes e poupança para o Estado. Os profissionais de saúde são pessoas que tem demonstrado uma enorme coragem e uma grande resistência às adversidades e que o seu trabalho tem sido heróico na defesa dos doentes e dos utentes.
Tenho que deixar aqui uma mensagem de louvor a todos, ou pelo menos à sua grande maioria, dos profissionais de saúde, desde o pessoal médico, de enfermagem, dirigentes, auxiliares e demais colaboradores, pela forma tão profissional, empenhada e humana como nos atendem diariamente e como tratam as milhares de pessoas que ai se deslocam ou que ai se encontram em tratamento e convalescença.
O doente é logo à partida, pela sua frágil condição uma pessoa que necessita de especial atenção e cuidados e que espera ser atendido e tratado com humanismo por alguém que lhe dê esperança e alegria de viver.
Acontece é que se não lhes forem dadas as condições indispensáveis, como parece ser o caso em apreço, estes profissionais, por muito que se esforcem sentem que podem ficar aquém daquilo que desejam, para prestar um serviço de qualidade.
É importante que o governo não olhe para o dinheiro aplicado no funcionamento do Serviço Nacional de Saúde como um custo, mas sim como um investimento; Investimento na prevenção, tão desejável e importante, no tratamento e na cura dos doentes, potenciando poupanças noutras áreas, como as baixas médicas, os fármacos e a própria improdutividade e ineficiência nas empresas, nas instituições e por consequência no país.
Um Serviço Nacional de Saúde devidamente organizado e bem equipado, que conta com excelentes especialistas e profissionais, com provas dadas à escala nacional e mundial, contribui e muito para o sucesso do país: Pessoas saudáveis são pessoas felizes, que contribuem para um país em constante desenvolvimento e que proporciona aos seus cidadãos qualidade de vida.
Ainda ontem, sexta-feira, dia 20, vivi uma experiência caricata, precisamente numa grande unidade de saúde pública do norte, onde me dirigi a acompanhar uma pessoa para a realização de um exame na especialidade de medicina nuclear. Chegamos a horas, ou seja, meia hora antes da hora marcada para o exame, como acho que deve ser, pois o utente é quem tem a obrigação de esperar pelo médico e nunca o contrário e aconteceu o inesperado. À hora da consulta/exame, fomos informados pela administrativa, que azar dos azares a máquina acabara de avariar.
Explicou-nos, muito solícita, que iam tentar proceder à reparação da máquina. Mais fez questão de explicar que a dita máquina ia ser reparada à distância, ou seja por via informática, por um técnico que se encontrava em… Lisboa!
Bom, logo começamos a desconfiar se não iria ser uma manhã perdida. Todos nos interrogamos se no norte, por perto não existiria nenhum técnico qualificado para ali se deslocar e proceder à reparação do referido «maquinão». Estou certo que no Porto não faltam técnicos capazes, estou é convencido que estas situações se prendem com… burocracias, definidas a partir de… gabinetes.
Não nos restou outra alternativa que não fosse esperar, com toda a calma, que o tal técnico de Lisboa tivesse sucesso na sua intervenção, para que os utentes que aguardavam a realização dos exames os viessem a fazer, evitando nova deslocação e todos os constrangimentos que dai advém, em especial a rapidez, porque como sabemos em saúde um dos principais fatores que pode jogar a favor do paciente e do sucesso do profissional é precisamente a rapidez, seja na identificação, despiste, deteção ou tratamento de uma doença.
Entretanto fomos assistindo a uma série de telefonemas realizados pela administrativa da secção a ligar para os utentes que tinham exames marcados para horas subsequentes para a mesma máquina, agora «doente», para que não viessem uma vez que a máquina estava avariada e o exame não era possível. Muito bem, evitando deslocações, gastos desnecessários e perdas de tempo.
Com tudo isto, na sala reinava a calma mas também o desejo e a esperança de que a qualquer momento chegasse a notícia do “ok” da máquina.
Passadas mais de 2 horas, sem que ninguém tivesse sido chamado, lá veio a simpática senhora pedir desculpas e informar que a «maleita» afinal carecia de tratamento mais prolongado e que por isso deveríamos ir embora e aguardar por nova marcação. Tudo bem, não fosse a senhora, já na despedida ter soltada a seguinte frase “da última vez que avariou, estivemos sem máquina mais de um mês”. Isto sim deixou-nos a todos muito apreensivos. Acredito e espero que em breve todos sejam chamados e a máquina lá fará o seu trabalho, para descanso dos que dela precisam.
Embora tivesse pensado versar sobre um outro tema da atualidade, o facto de ver as notícias das demissões no S. João e encontrando-me eu num outro Hospital da invicta também com nome de Santo, levou-me a mudar o teor desta crónica e a deixar aqui as minhas preocupações e o meu próprio testemunho de hoje, na expectativa de que a saúde dos portugueses seja olhada como uma prioridade nacional, que o norte não seja descriminado e que o SNS seja uma mais valia para um país que se quer moderno e com índices que se equiparem aos dos países mais desenvolvidos.
Um palavra de especial apreço para todos os profissionais de saúde, porque sente-se clara e inequivocamente que apesar das adversidades e constrangimentos vários, como os apontados pelos responsáveis do S. João e pelo que eu próprio testemunhei, dão o seu melhor em prol dos seus utentes, doentes e pacientes!
E porque acabei por dedicar esta minha crónica à SAÚDE, amanhã ninguém «pode» faltar à Caminhada Solidária a favor do Núcleo Norte da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Os doentes merecem!
Mário Fernandes
21-06-2014

sexta-feira, 20 de junho de 2014

PALMEIRA DE FARO CELEBROU O SANTO ANTÓNIO


PALMEIRA DE FARO CELEBROU AS FESTIVIDADES A SANTO ANTÓNIO
Realizaram-se no passado fim-de-semana, em Palmeira de Faro, as Festividades a Santo António. Do ponto alto das festas fizeram parte a Missa Campal e a majestosa procissão do domingo de tarde, onde participaram centenas de pessoas, com os andores, a Banda Filarmónica, a Fanfarra, os figurados e muitos populares. O tempo esteve bom e o local bem aprazível, na Alameda com o mesmo nome do Santo a proporcionar um ambiente festivo e acolhedor.
As marchas populares proporcionaram uma noite muito animada com muita cor, música e alegria. Começa a haver uma certa competição, bem salutar, a fazer com que a qualidade das marchas melhore a cada ano.
O Festival Folclórico com a presença de 6 “ranchos”, o Grupo Musical Curvense «Oitava Melodia» e o Grupo «Baeta & Companhia» completaram um programa diversificado, que atraiu a Palmeira muitos forasteiros. As festividades foram encerradas por uma sessão de fogo de artifício.

As festas aos Santos Populares são uma das imagens de marca deste nosso Minho, que se carateriza pela existência de muitos devotos, em comunidades maioritariamente marcadas pela fé Cristã. A tradição mantém-se e o povo reúne-se em torno dos Santos, para celebrar a fé, para festejar a alegria e para conviver.
MF


terça-feira, 17 de junho de 2014

MAIS UMA CRÓNICA DE OPINIÃO NO «NOTÍCIAS DE ESPOSENDE»


$

MUNICÍPIO EDUCADOR E SOLIDÁRIO
FÓRUM DA EDUCAÇÃO ESPOSENDE’2014 CONTOU COM GRANDE PARTICIPAÇÃO E FOI UM SUCESSO
“Educação e desenvolvimento” foi o tema deste ano do Fórum da Educação, promovido conjuntamente pelo Município de Esposende e pelos agentes educativos do nosso concelho. Do programa constaram iniciativas muito variadas, com temas transversais a envolver todos os protagonistas da comunidade educativa e da sociedade civil, onde se nota uma forte intervenção das Associações de Pais e das próprias Associações de Estudantes.
O balanço é muito positivo, pois foram debatidos temas bem atuais, numa área como esta em que a dinâmica é grande e a aprendizagem um processo a necessitar de constante actualização e acompanhamento. Estiveram presentes vários especialistas, onde se inclui um ex. Ministro da Educação e atual Presidente do Conselho Nacional da Educação, Dr. David Justino a debater a «Educação: Desafios Futuros».
Nota-se uma forte dinâmica nas Escolas, tendo contribuído para isso uma certa mudança de paradigma, com as associações pais e envolverem-se cada vez mais, de uma forma pró-ativa, mostrando ser um parceiro privilegiado das comunidades educativas locais, marcando presença, nos órgãos das Escolas e dos próprios agrupamentos de Escolas e mais do que isso realizando e co-realizando atividades, sejam culturais, desportivas e de lazer. Angariam fundos que colocam ao serviço das atividades, promovem atividades complementares, em vários casos mesmo com serviço de cantina e outras valências que enriquecem o funcionamento das nossas escolas.
É bom ver e eu tenho testemunhado isso, a forma como os pais e encarregados de educação são queridos nas escolas e chamados a tomar parte em toda a dinâmica escolar. Quero deixar aqui um reconhecimento pelo excelente trabalho que vem sendo desenvolvido de uma forma altruísta por centenas de pais e encarregados de educação que despendendo de muito do seu tempo e do seu saber a única coisa que ganham e já não é nada pouco, digo eu, é o prazer de estar ou ter contribuído para o bem estar dos seus filhos e por uma Escola melhor, que contribua para a educação e para a formação dos estudantes. Neste aspeto o único lamento vai mesmo para a pouca atividade atual da Federação Concelhia das Associações de Pais do concelho de Esposende, outrora com uma dinâmica que agregava as muitas associações locais e que trouxe a debate temas pertinentes. O desejo de que a este período de alguma inatividade se venha a seguir um novo impulso aglutinador, para que volte a ser aquele farol.
Às Escolas, aos seus Órgãos diretivos, aos corpos docentes e a todos os seus colaboradores, um bem-haja pela forma profissional e empenhada como têm “servido” a educação, apesar dos enormes constrangimentos vividos nos últimos tempos, de todos conhecidos. O sucesso da Escola faz-se a cada dia, com o empenho e a envolvência de todos. Autarquias, escolas, pais, associações, empresas e da própria sociedade civil, que participando no processo, acrescentam sempre algo que acaba por valorizar e trazer qualidade ao ensino.
Com alunos melhor preparados, estamos a dar um importante contributo para o futuro dos nossos jovens, num mundo global como o que vivemos, cada vez mais competitivo e concorrencial.
Há um conjunto enorme de atividades que giram à volta das escolas, como o próprio desporto escolar, que potencia o gosto dos jovens por desportos dos quais vêm muitos deles a ser excelentes praticantes e profissionais, veja-se o caso dos campeões que temos no nosso concelho em várias modalidades, algo conseguido com o empenho pessoal de cada um dos praticantes, mas cujo gosto nasce muitas vezes logo na escola, no grupo de amigos, nas aulas de educação física ou outras onde são apresentadas modalidades desportivas.
O nosso Município tem sabido aproveitar esses valores, fomentando e realizando eventos que movimentam os nossos desportistas e que trazem até nós, muitos outros praticantes e em modalidades muito diversificadas. A aposta acertada em modalidades ligadas ao rio, ao mar e à praia colocou Esposende no mapa nacional dos Municípios top dos desportos náuticos.
Um Município Educador, como é o caso de Esposende, a educação é um dos motores que pode puxar por um concelho, pelas suas empresas, associações e instituições, garantindo-lhes uma qualidade de recursos humanos diferenciadores, capazes de gerar emprego, atrair investimento e criar riqueza.
A PAR DA EDUCAÇÃO, A SOLIDARIEDADE É UMA MARCA CONCELHIA QUE DEVE ORGULAR OS ESPOSENDENSES
Ninguém fica indiferente aos eventos e à atividade solidária que tem vindo a ser desenvolvida em Esposende. Um trabalho que resulta de uma forte aposta do Município, através da Ação Social, onde se inclui a Loja Social e o Banco Local do Voluntariado de Esposende e que envolve muitos outros parceiros, instituições, empresas e cidadãos.
Parcerias com instituições como o Instituto Português do Sangue, a Liga Portuguesa Contra o Cancro, o Banco Alimentar Contra a Fome, a Associação Mundos de Vida, a Associação de Diabéticos do Minho, a Associação Portuguesa da Paramiloidose, as Associações Humanitários dos Bombeiros Voluntários, os Agrupamentos de Escolas, Escolas Profissionais e muitas outras, são excelentes exemplos daquilo que tem sido um trabalho em prol da solidariedade, muitas vezes desenvolvido com a descrição que se deseja, obtendo resultados magníficos a favor dos utentes destas associações, da sociedade e da própria comunidade local no seu todo.
Ser voluntário não é mais do que o conjunto de acções de interesse comunitário e social, realizadas de forma desinteressada por pessoas, no âmbito de projetos, programas e outras formas de intervenção ao serviço de pessoas, de famílias e da comunidade, desenvolvidos sem fins lucrativos por entidades públicas ou privadas.
E por falar em Voluntariado e em Solidariedade aproveito para informar que no dia 22, de manhã, realiza-se em Esposende, com concentração no Largo Dr. Fonseca Lima, uma Caminhada Solidária a favor do Núcleo Norte da Liga Portuguesa Contra o Cancro, que celebra este ano o seu 50º aniversário e que por isso deve merecer ainda mais a nossa atenção e a nossa solidariedade.
Estou certo que os Esposendenses e não só, vão, como sempre marcar presença em grande número, tal como aliás aconteceu ainda há duas semanas na Caminhada “Procuram-se Abraços” a favor das crianças que necessitam de famílias de acolhimento.
E se na «Copa do Mundo» o Brasil entrou a ganhar [3x1 à Croácia], de Portugal espero igual sorte para o jogo inaugural, a disputar esta segunda-feira com a poderosa e sempre candidata ao título, a seleção Alemã. Viva Portugal!
«LIKE US»
Mesmo, mesmo a fechar, hoje no Coliseu dos Recreios em Lisboa, a primeira atuação ao vivo da Banda Portuguesa «LIKE US» onde atua o jovem Esposendense, João Barbosa. A exemplo de outros “campeões” nas mais diversas áreas, já aqui referidos em anteriores crónicas, as minhas felicitações de hoje vão para este jovem, pelas excelentes qualidades demonstradas e pelo sucesso, bem merecido, que a Banda já está a atingir com a venda do primeiro álbum. Força João e que em breve vos possamos ter e ver a atuar cá no norte, de preferência em Esposende, no Festival Sons de Verão, porque não?!!
Mário Fernandes;
2014-06-14

segunda-feira, 16 de junho de 2014

ACREDITAR EM PORTUGAL! SEMPRE!!!



Para tristeza de todos, acabamos derrotados pelos alemães! Na segunda parte fomos uns dignos vencidos, dando tudo o que era possível olhando à desvantagem numérica!

A agravar esta tristeza ainda tivemos que ir gramando durante a partida, com a imagem da senhora Ângela a bater palminhas.

É preciso ver que acabamos de perder com uma das melhores selecções do mundo, uma das principais candidatas à vitória nesta «Copa»!

Não gosto nada de ver a forma como idolatram Ronaldo! A imprensa passa um jogador do céu ao inferno em três tempos. Por favor deixem o homem em paz, para que ele possa, descontraidamente, dar o seu melhor e contribuir para as vitórias que nos… esperam nos 2 próximos jogos e jogos seguintes!

Portugal é composto por 23 jogadores, de onde saem 11 para cada partida. É com esses 11 que em cada jogo temos que contar. 1 jogador, por muito bom que seja, [ainda] não faz uma equipa.

Talvez nos tenha feito bem perder este jogo, neste início, para que percebamos que os próximos 2 jogos exigem dos nossos jogadores o máximo profissionalismo, entrega e amor à camisola.

Este não é o momento para a crítica, perdemos apenas um jogo, aquele que podíamos perder sem por em causa o nosso apuramento, por isso nada está perdido.

Eu acredito! Força, Portugal!
MF - 2014.06.16 - 18H45



Calma! Este é apenas o 1. de 3 jogos! Que nos sirva de lição. Nada está perdido! Basta que os 10 se superem e acabem este jogo com dignidade. Os próximos 2 terão histórias bem diferentes. Eu acredito. Força, Portugal!
MF - 2014.06.16 - 17H45


As minhas publicações de hoje no «facebook»


sexta-feira, 13 de junho de 2014

FESTAS EM HONRA A SANTO ANTÓNIO EM PALMEIRA DE FARO



As já tradicionais Festas a Santo António, em Palmeira de Faro, tem o seu inicio hoje e decorrem até domingo!

Vamos lá...

MF


terça-feira, 10 de junho de 2014

«O TODO-PODEROSO» JORGE COELHO, POR FERNANDO ESTEVES!




Mais um livro comprado e lido. Gostei!

Ai está a biografia de uma figura pública da política portuguesa e dos negócios: «JORGE COELHO – O TODO-PODEROSO».

Um livro do jornalista Fernando Esteves, com a «vida e obra» de Jorge Coelho. O político, o ministro e o homem; O «Coelhone» do contra-informação; O Buldózer do Partido Socialista de António Guterres, o Ministro que se demitiu com a queda da ponte de Entre-os-Rios.

Sobressai o «líder, o influenciador e o homem todo-o-terreno». “Quem se meter com o PS leva”! Quem não se lembra desta frase de J.C.

Muitos anos de vida para este lutador, que também na doença acabou por sair por cima. Ainda bem que existem muitos exemplos como este, pois dão esperança a muitos outros doentes com cancro, demonstrando que a cura é possível.

Nota: Pena o preço tão elevado [20,70€].

Ah... quando «crescer» também vou querer ter um biografia com aquele título!!! Ah, ah, ah...!

MF


sábado, 7 de junho de 2014

AO SÁBADO CRÓNICA DE OPINIÃO NO SEMANÁRIO «NOTÍCIAS DE ESPOSENDE» DE 07.06.2014



NO «PÓS-TROIKA» URGE CREDIBILIZAR A POLÍTICA
TÃO IMPORTANTE COMO TER AS CONTAS PÚBLICAS CONTROLADAS É NECESSÁRIO CREDIBILIZAR A POLÍTICA E CRIAR EMPREGO
Os últimos chumbos do TC provocaram a mais recente cruzada do Governo contra as decisões daquele órgão, facto absolutamente lamentável. Não sei até se começa a ultrapassar o limite do razoável e do aceitável.
A questão que coloco é se aquilo que está mal não será mesmo a própria «Constituição» e por isso a precisar de ser revista em muitos pontos? A sociedade evoluiu e ainda bem e a realidade de hoje nada tem a ver com a realidade de outrora, portanto nada mais natural do que dar inicio a uma profunda revisão da constituição de forma a adequá-la à presente.
Certo é que o chumbo de 3 das 4 normas veio alterar e muito o estado de coisas: A troika adiou a transferência da última tranche do empréstimo a Portugal, o equilíbrio das contas públicas acaba por ficar em causa, bem como o cumprimento de muitas das metas então definidas pelo Governo. Até parece que começa a ser normal violentar a Constituição do Estado de Direito, com clara e inequívoca separação de poderes entre órgãos de soberania.
A incendiar o debate temos declarações de voto, vencidas, de alguns dos senhores Juízes que se mostraram totalmente contra aquelas decisões. Abre-se agora uma grande discussão a cerca daquilo que são as decisões políticas de um governo legítimo e aquilo que são decisões que ferem as regras fundamentais do Estado Português. O Governo advoga, como lhe convém, outra coisa não seria de esperar, que se trata de decisões políticas, para as quais se sente com toda a legitimidade.
As oposições, como é habitual, colocam-se do lado do TC, para afirmarem aquilo que o «povo gosta de ouvir», defendendo a separação de poderes, a independência dos poderes, etc., etc., etc. e muito bem. Vamos ver, é o que farão quando um dia forem Governo.
Uma coisa é certa, parece-me de muito mau gosto aproveitar estas situações para questionar o processo de nomeação/eleição dos senhores Juízes. Pelo que se sabe tudo terá sido feito dentro das regras estabelecidas e por isso com toda a normalidade.
Neste momento o que importa e o que os portugueses esperam, não são guerras de palavras, mas que seja dado cumprimentos àquelas decisões e sejam conhecidas as medidas alternativas que o Governo pretende adotar para equilibrar as contas públicas, criar emprego e por a economia a crescer.
PRINCIPAL MISSÃO DOS AGENTES POLITICOS, DE TODOS E DA PRÓPRIA SOCIEDADE DEVE SER A MORALIZAÇÃO DA POLITICA E DA GESTÃO PÚBLICA
Temos um Parlamento que produz muitas leis ininteligíveis, indecifráveis pelos próprios e muitas delas inaplicáveis ou de aplicação gravosa, vejam-se os exemplos da «Lei de limitação dos mandatos autárquicos», alvo de chacota nacional, a lei da «Extinção de Freguesias», agora a própria constituição e a sua interpretação, de entre muitas outras;
Um Governo que já vai com o terceiro orçamento consecutivamente declarado inconstitucional; Um Presidente com uma inércia assustadora, este mesmo que governou o país durante uma década e se gabava de nunca ter dúvidas e de raramente se enganar. Agora, acossado pelas oposições e pelo povo vai respondendo com a gestão dos… silêncios!
Partidos que na oposição tudo prometem e garantem, mas chegados ao poder, logo rasgam as promessas feitas e os programas eleitorais apresentados, evocando as surpresas encontradas, quando haviam garantido estar na posse de todos os elementos e de conhecerem muito bem o estado do país e das contas públicas; Temos ainda partidos que sabendo não ter nunca que o provar, prometem tudo a todos, desde a baixa de impostos ao aumento de salários, serviços públicos gratuitos para todos, ou seja, prometem tudo e o seu contrário;
E depois, claro, temos o povo, as portuguesas e os portugueses, esses mesmos que tem demonstrado uma paciência e uma tolerância sem limites. Com um cenário destes, que outro resultado poderíamos ter senão um país na falência? E tão grave como isto, é vermos que a responsabilidade vai morrendo solteira. BPN’s, BPP’s; PPP’s, fundações, institutos públicos que se sobrepõem, as «Swap’s», que vieram enriquecer o nosso léxico, mas depauperar ainda mais o erário público, engordando a alta finanças, os ditos «mercados».
Nada disto acontece por acaso: Estamos num país que parece orgulhar-se de dar a liderança das audiências televisivas a tudo que é lixo onde se exploram sentimentos e se expõe as fraquezas e as misérias até à exaustão. Tudo parece normal!
Em que governantes transitam entre o sector público e o sector privado como se nada de errado se passasse, conseguindo contratos dos quais vêem a ser os principais beneficiários, claro está, sempre em prejuízo do Estado. Em que os deputados aprovaram a limitação de mandatos para os autarcas, esses mesmos que as populações melhor conhecem, mas para si próprios não estabelecem qualquer limitação. Um país onde o Presidente abdica do seu vencimento pelo exercício da função estando impedido de o acumular com as pensões não porque não o queira receber, mas porque as reformas que aufere lhe são bem mais vantajosas.
Um país, como ainda há dias se viu, onde uma grande maioria dos eleitores abdica desse direito inalienável que é o Voto; E um país onde o amiguismo e o chico-espertismo ainda reinam. A agravar a toda esta situação, ainda temos uma Europa destroçada, com a Alemanha a ditar as suas regras e o seu querer [com a ajuda de uma França enfraquecida], a usar o seu poderio económico, que nós próprios ajudamos a construir, e a abusar da sua posição de potência dominante, impondo a lei do mais forte, esquecendo-se dos momentos difíceis porque também já passou. Tenho saudades de verdadeiros líderes, como Jacques Delors e mesmo Helmut Kohl, ou François Mitterrand, todos grandes estadistas.
Das medidas que foram sendo tomadas e de entre várias há duas medidas com as quais estive e continuo a estar em total desacordo: O aumento da idade da reforma, que veio dar mais uma machadada no emprego jovem, e a baixa de salários na função pública, quando o que deveria ter sido feito, não me canso de o dizer, era aumentar os salários do sector privado, para gradualmente os ir aproximando do público e nunca o contrário, que é o que o governo tem vindo a fazer, embora agora contrariado.
Depois de tudo isto sobra o futebol para nos dar algumas alegrias com o Mundial do Brasil a ter início na próxima semana, dia 12 de Junho. Portugal faz o seu primeiro jogo frente à Alemanha no dia 16. Nos dias 22 e 26 jogamos contra os EUA e o Gana, respetivamente. Por isso, viva Portugal e espero que os nossos craques só regressem a casa depois de disputarem a final!
CAMINHADA DO PIJAMA DO PASSADO DOMINGO FOI UM GRANDE SUCESSO E TROUXE A ESPOSENDE PERTO DE MIL PESSOAS
Cerca de um milhar de pessoas associaram-se nesta caminhada que encheu de cor e de movimento as ruas de Esposende.
Mais importante do que o número de participantes será ver se as sementes lançadas, na procura de Famílias de Acolhimento virão a dar os desejados frutos. Toda a criança tem direito a uma família é o lema desta campanha, que pretende privilegiar o acolhimento de crianças em ambiente familiar em detrimento da sua institucionalização.
São as praias de APÚLIA; FÃO-OFIR; MARINHAS-CEPÃES; RAMALHA; RIO DE MOÍNHOS. E por falar em praias tivemos esta semana a visita do senhor Ministro do Ambiente que procedeu ao lançamento da obra de requalificação da frente marítima de S. Bartolomeu do Mar.
PS COM PRIMÁRIAS EM 28 DE SETEMBRO
Mas será que estes senhores não percebem que na situação atual, 4 meses são uma eternidade? Portugal precisa de um PS forte, que debata de igual para igual com o Governo e que tenha um programa alternativo para o país.
Acabo de chegar da Quinta da Malafaia de participar na Festa dos Santos Populares, organizada pelo Município de Esposende e que contou com a presença de mil setecentos e cinquenta idosos, mas quinhentos do que no ano passado. Gostei de saudar e cumprimentar pessoalmente os meus «jovens mais experientes» de Curvos e Palmeira de Faro. Experiências sempre gratificantes, pelo carinho e amizade que nos dispensam.
Mário Fernandes
2014-06-07